Tamanho do texto

O presidente equatoriano, Rafael Correa, afirmou hoje que seu país somente reatará completamente as relações diplomáticas com a Colômbia quando acabarem os ataques e as calúnias dirigidas ao Equador. Correa referiu-se às acusações de Bogotá de que o governo equatoriano colaboraria com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

"Todos queremos o reatamento das relações bilaterais o mais rápido possível. Mas com Justiça, com dignidade", afirmou.

Sua declaração deixou claro que a reunião extraordinária da União Sul-americana de Nações (Unasul) foi insuficiente para pôr um ponto final no conflito entre a Colômbia, de um lado, e a Venezuela e o Equador, de outro, que se arrasta há dois meses. Questionado sobre as investigações da Interpol sobre a cooperação dos governos equatoriano e venezuelano às Farc, Correa respondeu com um ataque à Colômbia. "Que se ponham a investigar a 'narcopolítica' e a 'parapolítica' que, lamentavelmente, invadem a Colômbia", declarou.

Em outro tópico delicado para a Colômbia, Correa defendeu que a criação do Conselho Sul-Americano de Defesa deve ser conduzida na velocidade dos que querem a integração regional. Portanto, que seja mais rápida. "Temos de tomar as decisões e, mais tarde, somar os que não se mostram hoje interessados".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.