Corpos de vítimas da chuva são resgatados em Cunha

Os corpos das seis pessoas da mesma família que foram soterradas na manhã desta sexta-feira, em um sítio localizado na Barra do Bié, em Cunha, a 170 quilômetros de São Paulo, só começaram a ser resgatados pelo Corpo de Bombeiros e por helicópteros do Exército na manhã deste sábado.

Agência Estado |

Os primeiros dois corpos chegaram à Base Aérea de Guaratinguetá às 12h30, seguindo depois para o Instituto Médico Legal (IML). Outros três corpos chegaram às 14h30. O último corpo, do dono do sítio e chefe da família, Mário Robles Moron, chegou ao local às 17h40.

Segundo Carlos Alberto Alves da Silva, amigo da família, os corpos foram sendo reconhecidos e identificados por uma parente das vítimas, na medida em que chegavam ao IML. Silva afirmou que não teve acesso ao reconhecimento e que não sabia das condições dos corpos. A polícia também não deu detalhes.

"É muito duro ver uma família ser dizimada dessa forma. É muito triste", lamentou Oliveira. Segundo ele, os Moron frequentavam o sítio há pelo menos 15 anos. As vítimas moravam no Jardim Campo Grande, em São Paulo. "Estamos todos muito abalados", afirmou. Oliveira e outros amigos ainda tentaram chegar ao sítio, mas não conseguiram, por conta do estado da estrada de acesso, que tinha várias pontes quebradas e barreiras.

Leia mais sobre: Cunha

    Leia tudo sobre: cunhadeslizamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG