Os corpos de quatro pessoas da mesma família, que foram assassinadas ontem em Unaí, em Minas Gerais, foram enterrados na tarde deste domingo. Comoção marcou o enterro, acompanhado por cerca de 2 mil pessoas, de acordo com a Globonews.

O pai, o motorista de ônibus Walderci Ribeiro dos Santos, de 48 anos; a mãe, a dona de casa Maria Conceição da Costa, de 35; e as irmãs Samara Ribeiro da Costa, de 18, e Amanda Ribeiro da Costa, de 10, foram mortos pelo filho, o balconista Fernando Ribeiro da Costa, de 22 anos, que teria confessado o crime, segundo a Globonews. Ele ficará preso até o julgamento.

Fernando teria dito à polícia que foi motivado a cometer os assassinatos após um desentendimento com a irmã. Ela teria ficado brava porque ele acendeu uma luz do quarto ao chegar em casa durante a madrugada. Assim teria começado a discussão que culminou na morte das jovens e de seus pais.

Segundo a Polícia Civil, logo que foi detido, Fernando negou que tivesse matado a família, mas depois teria confessado o crime. Vizinhos escutaram gritos na casa durante a madrugada e procuraram pela família. Fernando os recebeu e disse que os berros eram da caçula, que estaria passando mal. As informações são do sargento da Polícia Militar Israel José Ferreira.

No início da manhã, como a família, acostumada a acordar cedo, não deu notícia, os vizinhos chamaram a Polícia Militar, que encontrou os corpos em meio a poças de sangue e cobertos por lençóis. "Os golpes foram desferidos na região da nuca e do pescoço. Isso mostra que o infrator teve tempo suficiente para cometer o crime", informou o sargento. Ele conta que Fernando foi encontrado na casa da namorada, tranqüilo e com cortes na mão. "Perguntamos sobre os pais e ele respondeu que tinham viajado."

* Com informações da Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.