Corpo de Gatti é exumado para nova autópsia, a pedido da família

SÃO PAULO - O corpo do boxeador Arturo Gatti foi exumado nesta sexta-feira para que profissionais canadenses possam fazer uma nova autópsia, a pedido de sua família, depois de a polícia brasileira ter afirmado que ele cometeu suicídio.

Redação com AP |

AP
Corpo de Gatti foi exumado
Gatti, em foto de 2006
Até esta quinta-feira, a polícia de Recife acreditava se tratar de um caso de homicídio e tinha a mulher de Gatti como principal suspeita. Agora, as autoridades afirmam que Gatti se enforcou, hipótese questionada por amigos e familiares do boxeador.

Na sexta-feira, o ministro do Exterior do Canadá, Lawrence Cannon, disse que iria conversar com autoridades brasileiras para saber mais sobre as investigações. A mulher de Gatti, Amanda Rodrigues, que estava presa desde o dia 12 de julho, foi libertada na quinta-feira.

Seu advogado, Célio Avelino, disse à agência AP que o pedido de uma nova autópsia por parte dos parentes do boxeador faz todo o sentido.

Primeiro disseram à família de Gatti que ele tinha sido morto pela Amanda, agora estão dizendo que ele cometeu suicídio. É claro que a família tem dúvidas e está exigindo outra autópsia ¿ que é o que devem fazer, afirmou Avelino. Tenho certeza que a segunda autópsia vai confirmar que ele se suicidou.

Leia mais sobre Arturo Gatti

    Leia tudo sobre: morterecife

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG