Padre nascido no Rio de Janeiro era membro da Academia Brasileira de Letras e morreu aos 92 anos, vítima de câncer

selo

O corpo do padre Fernando Bastos de Ávila, ocupante da cadeira de número 15 da Academia Brasileira de Letras (ABL), foi enterrado na tarde de sábado no Cemitério Bosque da Esperança, em Belo Horizonte. Natural do Rio de Janeiro, Ávila tinha 92 anos e morreu vítima de um câncer.

Ele morreu de manhã, na Casa de Saúde Irmão Luciano Brandão, onde estava internado.

Fernando Bastos de Ávila foi reitor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e publicou 15 livros, além de dezenas de ensaios. A ABL, na qual ingressou em 1997, decretou luto de três dias e, na próxima quinta-feira, fará sessão em sua homenagem.

A chamada "sessão da saudade" será encerrada com a declaração de vacância da cadeira número 15. Ávila foi o sexto a ocupá-la, precedido por Dom Marcos Barbosa.

"Enquanto teve condições, ele foi um confrade de grande assiduidade e de uma presença muito importante na defesa da Doutrina Social da Igreja", afirmou em nota o presidente da ABL, Marcos Vilaça.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.