Velório teve início às 18h no cemiterio de Taguatinga; professor atirou três vezes contra estudante com quem teve caso

O corpo de Suênia Sousa Faria, 24 anos, começou a ser velado a partir das 18h no cemitério de Taguatinga, em Brasília. A estudante universitária foi morta a tiros ontem pelo professor de Direito Rendrik Vieira Rodrigues .

Sivanildo Souza Faria e Simone Souza Faria velam o corpo da irmã, morta a tiros por professor
Alan Sampaio / iG Brasília
Sivanildo Souza Faria e Simone Souza Faria velam o corpo da irmã, morta a tiros por professor

O enterro está previsto para amanhã, no início da tarde.

Rendrik continua detido na carceragem da Delegacia de Polícia Eespecializada e deve ser encaminhado ao Complexo Penitenciário da Papuda ainda neste sábado. Familiares da moça estiveram reunidos em frente ao IML durante a manhã e pediram justiça.

"Esse monstro tem que pagar pelo que fez", disse uma das irmãs da vítima, a dona de casa Sineide Sousa Faria, Segundo o jornal local “Correio Braziliense”. Outra irmã, Cilene Sousa Faria, afirmou que Rendrik não ficará detido por muito tempo. "Mas ele era professor e ela aluna. Ele vivia em busca de fazer as leis valerem, esperamos que a Justiça leve isso em consideração", afirmou.

A administração da Faculdade de Direito do UniCeub - onde Suelen estudava e Rendrick dava aulas de direito Comercial – divulgou a seguinte nota: "A comunidade acadêmica do UniCEUB está profundamente transtornada e manifesta seu pesar pelo falecimento da aluna Suênia Sousa Faria. Prestamos solidariedade à família neste momento difícil e colocamo-nos à disposição."

O professor estava inconformado com o fim do relacionamento depois que a aluna, que estava no 7º semestre, reatou com o marido. O professor abordou Suênia por volta das 14h30, quando ela saía da faculdade. Ela estava no carro que pertencia a seu marido, um Sandero prata, acompanhada de uma amiga. Rendrick teria pedido que a amiga deixasse os dois a sós e saído com a moça em direção a Taguatinga.

Não se sabe em que momento Rendrick assumiu o volante do veículo. Segundo relato do marido, logo depois ele recebeu uma ligação da mulher dizendo que ia pegar suas coisas em casa e que iria viver com o professor. O marido estranhou o tom de voz da esposa, nervosa e confusa, e foi à delegacia da cidade satélite de Taguatinga prestar queixa.

Em dado momento do percurso, na estrada Estrutural, sem se entenderem, Rendrick atirou três vezes contra Suênia, duas vezes na cabeça e uma no tórax.

Depois de atirar contra a estudante, ele rodou por horas com o corpo dentro do carro até que, às 17h30 se entregou à 27ª Delegacia de Polícia no Recanto das Emas, cidade-satélite distante 26 quilômetros de Brasília, conforme relata o boletim de ocorrência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.