Convocação de Lina para CPI da Petrobras é rejeitada

BRASÍLIA ¿ O requerimento de convocação da ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira, foi rejeitado na CPI da Petrobras. O relator da comissão Romero Jucá (PMDB-RR) colocou em votação por bloco os requerimentos e os parlamentares aprovaram a rejeição de 64 deles, entre eles aquele que fazia o convite a Lina.

Christian Baines, repórter em Brasília |

No momento da votação dos pedidos, havia apenas um senador da oposição, o baiano Antonio Carlos Junior (DEM), que foi o único que votou contra a rejeição.

AE
A ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira em depoimento

Apesar de Lina ter comparecido à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) na manhã desta segunda, a oposição sinalizou que insistiria na sua convocação na CPI.

Na CCJ, a ex-secretária  reafirmou que esteve com a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) em encontro reservado e voltou a afirmar que Dilma lhe pediu que agilizasse as investigações contra as empresas da família Sarney. Lina negou que tenha se sentido pressionada, mas afirmou que considerou "incabível" um pedido como aquele .

Fundação Sarney

Entre outros requerimentos derrubados, estão dois do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) que solicitam o envio de prestações de contas da Fundação José Sarney. O primeiro solicitava cópias das prestações de contas e notas fiscais das ações da Fundação financiadas pela Petrobras.

O segundo requerimento também rejeitado pedia que o ministério da Cultura enviasse à comissão cópias das prestações de contas do patrocínio da Petrobras à Fundação José Sarney.

Conforme reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo , parte dos recursos de patrocínio da Petrobras à Fundação Sarney foram desviados para empresas fantasmas e até mesmo empresas da família Sarney.

Pedidos aprovados

Apenas dois convites foram aprovados pela CPI. Eles solicitam o comparecimento dos engenheiros Glauco Lagetti, gerente geral de empreendimentos da refinaria Abreu e Lima, e Sergio Santos Arantes, gerente de custos da Petrobras.

Lina nega pressão de ministra; assista



Leia mais:

Leia mais sobre: crise no Senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG