Convênio cria maior banco de tumores da América Latina

Um convênio assinado ontem no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo, com a presença do governador José Serra, entre os hospitais do Câncer de Barretos e A.C.

Agência Estado |

Camargo, criou o maior banco de tumores da América Latina, com 25 mil amostras. O acordo terá duração mínima de dez anos e prevê, além da cooperação científica entre as instituições, o treinamento e aprimoramento de profissionais, a troca de equipamentos e o uso conjunto de laboratórios de estudos em biologia molecular.

Cada um dos hospitais recebe cerca de nove mil novos casos de câncer por ano. Com a parceria, a expectativa é que esse número aumente. "Eles (Hospital do Câncer de Barretos) são muito fortes nas ações de prevenção ao câncer, como as carretas com mamógrafos que eles utilizam na região", diz o presidente do Hospital A.C. Camargo, Ricardo Brentani.

O desenvolvimento de pesquisas conjuntas deve contar com a cooperação do M.D.Anderson Cancer Center, dos Estados Unidos. Um dos objetivos é a transferência para o hospital do interior da experiência do A.C. Camargo em pesquisas em oncogenética.

Com o acordo, o Hospital do Câncer de Barretos passa a fazer parte também do Grupo Brasileiro de Estudos de Tumores Hereditários (GBETH). Fundado em 2003, o GBETH é a maior rede sul-americana de pesquisa de mutações genéticas, com pesquisadores do Uruguai, Argentina e Colômbia e investe no ensino e pesquisa do câncer hereditário.

Outra vantagem para as instituições é o maior poder de negociação nos processos de compra de materiais. "Com certeza vamos economizar com as compras conjuntas", afirma o diretor. "A troca de experiências não será apenas científica, vamos comparar nossas gestões e aprender muito."

Em julho, o Hospital A.C. Camargo firmou outro convênio semelhante com o Instituto do Câncer de São Paulo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG