Controle e prevenção do HIV são tema de audiência pública em Manaus

MANAUS - A Assembléia Legislativa de Manaus promove nesta terça-feira (2) uma audiência pública para tratar do controle e da prevenção do HIV/Aids. Ao longo desta semana, também serão realizados testes Anti-HIV em grande parte dos municípios. A previsão dos coordenadores é que pelo menos 10.350 testes sejam aplicados. Nos próximos dias 18 e 19, a cidade também vai sediar o Simpósio Estadual Pensando em Aids, na Fundação de Medicina Tropical.

Agência Brasil |

Nesta segunda-feira (1º), Dia Mundial de Combate à Aids, uma caminhada de quase uma hora de duração da qual participaram estudantes, pesquisadores, servidores públicos e representantes de movimentos sociais por uma das principais avenidas do centro de Manaus chamou a atenção da população para a data. A coordenação de DST/Aids na Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMT/AM) pretende distribuir mais de 80 mil folders contendo orientações sobre Aids e DST e cerca de 860 mil preservativos nos 62 municípios do Amazonas.

Em entrevista à Agência Brasil, o coordenador do Fórum Amazonense de HIV e Aids, Fabrício Nunes, destacou que ainda falta mais cuidado por parte da população no sentido da prevenção e maior comprometimento do poder público para garantir a permanência constate dos medicamentos necessários aos portadores da doença. Para Fabrício, o HIV é uma verdadeira escola para seus portadores.

"Uma pessoa com HIV aprende a viver de novo. O HIV é uma escola porque a doença ensina a comer melhor, a dormir melhor e a se cuidar mais. Mas o governo também tem um papel importante na sociedade como, por exemplo, a oferta dos exames à população para garantir o diagnóstico da doença o mais cedo possível".

Em 2008, até o dia 15 de novembro, o Amazonas registrou 97 novos casos entre homens e 63 entre mulheres. Os dados são da Fundação de Medicina Tropical do Estado (FMT/AM). Manaus é de longe a cidade com o maior número de ocorrências da doença no Estado, com 88% do total de registros. Em seguida estão Parintins, Tabatinga, Itacoatiara, Tefé e Manacapuru. O Estado registrou, entre 1996 e 2008, 1.345 óbitos por Aids. Ainda na avaliação de Nunes, o preservativo tem que estar em primeiro lugar.

"Em 2008, o Amazonas está  na frente do ranking de óbitos por Aids na região Norte. É preciso alerta".

Segundo o coordenador do Programa Estadual de Combate à DST e Aids, da Secretaria de Saúde do Amazonas, Cássio Espírito Santo, existem avanços importantes que merecem ser destacados, como a rede de assistência e tratamento aos portadores da doença pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ainda assim, ele considera que, no caso do Amazonas, o maior desafio é o interior do Estado.

"O Amazonas é um Estado muito grande e com particularidades geográficas que dificultam ações de saúde. Temos também mais de 30 etnias indígenas no Estado. Tudo isso se consolida numa complexidade que exige do poder público mais criatividade que em outros Estados do país".

O Norte do Brasil é a região que possui o menor percentual de notificações de casos de HIV e Aids no país, segundo dados do Ministério da Saúde. Foram 3,6% do total registrado no Brasil, ou aproximadamente 18 mil pessoas atingidas pelo vírus desde a década de 80. Contudo, também representa a área onde houve maior aumento da taxa de incidência a partir de 2000.

Leia mais sobre: Aids

    Leia tudo sobre: aids

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG