Contratos do Comperj preveem parceria com prefeituras para saneamento e meio ambiente

A Petrobras assinou nesta segunda-feira quatro contratos para implantação do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), num total de R$ 2,5 bilhões. Referem-se à construção das unidades de produção do complexo (Destilação Atmosférica e a Vácuo e Hidrocraqueamento Catalítico), um aditivo contratual com a Companhia Estadual de Água e Esgoto do Rio (Cedae) e um acordo de cooperação entre ministérios, o BNDES, a Caixa e a Petrobras.

Rodrigo de Almeida, iG Rio de Janeiro |

Com a Cedae, o aditivo contratual é para a construção de adutora pela Petrobras. A contrapartida será o fornecimento de água tratada pela Cedae para as obras do complexo. O acordo de cooperação vai, segundo o diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, viabilizar a atuação da empresa e das prefeituras no planejamento e coordenação das ações na região. Envolve projetos sociais e de proteção ao meio ambiente. O acordo prevê, por exemplo, a viabilização de projetos de infraestrutura urbana e social com as prefeituras.

Segundo o governador do Rio, Sérgio Cabral, todos os municípios que estão no entorno do Comperj serão beneficiados. Está prevista a abertura de estradas e a construção de um píer em São Gonçalo para a chegada dos equipamentos. Obras de esgoto, revegetação de áreas e capacitação de mão de obra local também são prometidas.

Leia mais sobre: Lula

    Leia tudo sobre: luiz inácio lula da silvalulapetrobras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG