Contrato dos Beatles com Brian Epstein é leiloado por 240 mil libras

LONDRES ¿ O contrato assinado pelos Beatles com o primeiro empresário do grupo, Brian Epstein, foi leiloado hoje por 240 mil libras (quase R$ 727 mil) em Londres.

EFE |

Nesse mesmo leilão, também foram arrematadas uma guitarra de Jimi Hendrix e o último caderno de Jim Morrison, onde o líder do The Doors deixou escritas letras, poesias e reflexões pouco antes de morrer.

O documento leiloado, que foi descrito por alguns especialistas como o contrato musical mais importante de todos os tempos, é a cópia pessoal de Epstein, que contribuiu para lançar a banda de Liverpool ao estrelato após descobri-la no clube "The Cavern".

Embora o contrato tivesse sido assinado no dia 24 de janeiro de 1962 por John Winston Lennon, George Harrison, James Paul McCartney e Richard Starkey (o verdadeiro nome de Ringo Starr), Epstein se negou a assiná-lo durante mais de meio ano, até que considerou que tinha cumprido seus compromissos com os músicos.

O empresário só assinou o papel no dia 1º de outubro de 1962, após conseguir para os quatro um contrato com a EMI para o lançamento do single "Love Me Do", após outras gravadoras terem recusado a música.

Epstein disse que não queria assiná-lo antes para dar aos Beatles a possibilidade de seguir seu caminho se ele não pudesse cumprir sua promessa de conseguir um contrato de gravação.

O documento, de quatro páginas e que tinha um preço estimado de 250 mil libras (cerca de R$ 757 mil), tem, além disso, as assinaturas dos pais de Harrison e McCartney, cujo consentimento era necessário, já que seus filhos não tinham completado 21 anos.

No documento, Epstein, que foi encontrado morto em 1967 aos 32 anos devido a uma overdose, se comprometia a divulgar o grupo e assessorá-lo quanto à imagem.

    Leia tudo sobre: beatles

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG