BRASÍLIA (Reuters) - Todos os movimentos políticos feitos pela oposição interna no PMDB contra a aliança do partido com o PT em torno da pré-candidata Dilma Rousseff vêm sofrendo sucessivas derrotas, o que fortalece ainda mais o presidente licenciado da legenda, deputado Michel Temer (SP), fiador dessa união nacional. A ala contrária a essa aliança tentou suspender na Justiça a convenção do PMDB, mas não conseguiu. O encontro, marcado para sábado, deve reconduzir Temer ao comando da legenda.

Presidente da Câmara, Temer é um dos cotados para assumir a vaga de vice na chapa de Dilma. Permanecendo no controle partidário, ele toma fôlego para viabilizar seu nome na chapa com o PT.

"Temos mais de 90 por cento do partido com a decisão do Diretório Nacional. A convenção vai se realizar no dia 6 em ambiente de tranquilidade e democracia", afirmou Temer nesta tarde.

Um dos recursos ao tribunal, impetrado pelo presidente do diretório do PMDB de Pernambuco, Dorany Sampaio, foi negado pela juíza Grace Rabelo, da 6º Vara Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT).

O pedido de liminar de Sampaio sustentava que o processo de antecipação da convenção "afrontou as diretrizes partidárias e os dispositivos estatutários que regem o partido".

Originalmente, a convenção seria em 6 de março e foi oficialmente antecipada por pressão do grupo de Temer.

Segundo a decisão judicial, no entanto, não há argumentos suficientes para a concessão de liminar. "Assim, neste momento, não restaram demonstradas as ilegalidades", concluiu a juíza.

Dentre os integrantes do grupo contrário à aliança estão os governadores do Paraná, Roberto Requião --que defende candidatura própria à Presidência--, e Luiz Henrique da Silveira, de Santa Catarina, autor do segundo recurso à Justiça, também negado.

O senador Jarbas Vasconcelos, de Pernambuco, compartilha da opinião dos governadores e afirma que não participará do encontro.

"A gente não vem (à convenção) e ninguém (do PMDB de Pernambuco) vai participar do diretório. Somos contra esse açodamento, somos contra a coligação com o PT", disse.

(Por Maria Carolina Marcello, com reportagem adicional Fernando Exman)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.