Contran torna obrigatório curso para motofretistas

Sem o curso, trabalhadores não vão poder exercer a profissão. Profissionais têm prazo até dezembro para fazer o curso

AE |

AE
Motoboy na avenida Nove de Julho, no centro da cidade de São Paulo
O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) regulamentou nesta sexta-feira o curso de formação obrigatório para profissionais em transporte de passageiros (mototaxista) e em entrega de mercadorias (motofretista) que exerçam atividades remuneradas.

A resolução foi publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União (DOU). Os profissionais têm prazo até dezembro, num total de 180 dias, para participar do curso, que será ministrado pelo órgão executivo de trânsito do Estado ou do Distrito Federal ou por órgãos, entidades e instituições por ele autorizados. Segundo o Contran, sem o curso, os trabalhadores não vão poder exercer a profissão.

Para fazer o curso, de 30 horas-aula, os interessados devem ter 21 anos, estar habilitado no mínimo há 2 anos na categoria 'A', entre outros requisitos. O uso de colete de segurança com dispositivos refletivos também será obrigatório. Para os motofretistas, há ainda a condição do uso de equipamentos de seguranças na moto, como protetores.

De acordo com a resolução, a decisão de instituir a obrigatoriedade do curso levou em consideração a importância de garantir aos motociclistas profissionais a aquisição de conhecimentos, a padronização de ações e, consequentemente, atitudes de segurança no trânsito.

    Leia tudo sobre: mototaxista

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG