Contran proíbe instalação de faróis de xênon

A partir de agora, apenas os automóveis que saem da fábrica com o dispositivo poderão usá-lo

Agência Brasil |

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) proibiu a instalação de faróis de xênon (que utilizam gás xenônio) em todo o país. A resolução já foi publicada no Diário Oficial da União e foi adotada, segundo o Contran, por uma questão de segurança. A potência das lâmpadas de xênon é três vezes superior a dos faróis normais, podendo ofuscar a visão dos motoristas que trafegam em sentido contrário.

Divulgação
Faróis de xênon só serão permitidos em automóveis que saírem de fábrica com o acessório
A resolução autoriza a substituição dos faróis de xênon pelo sistema normal de iluminação nos veículos que vem com o equipamento mais potente de fábrica. O dispositivo chegou a ser proibido pelo Contran em 2009, mas foi liberado após regulamentação que estabeleceu limites de intensidade de luz.

Mais potente e com facho de luz em tom azulado, o farol de xênon é comum nos veículos importados mais caros e virou moda entre adeptos do tuning (personalização radical de carros). Quem insistir no uso desse tipo de farol, se flagrado pela fiscalização, receberá multa de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira de habilitação.

Saiba mais sobre carros no iG

    Leia tudo sobre: faróis de xênonautomóveiscontran

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG