Contra suspeitas, PSDB-MG vai formalizar apoio a Serra

O PSDB mineiro irá formalizar nesta quarta-feira (17) um compromisso de apoio à pré-candidatura do governador de São Paulo, José Serra, à Presidência da República.

Agência Estado |

AE
Governador de Minas Gerais, Aécio Neves

Governador de Minas Gerais, Aécio Neves

Para afastar quaisquer suspeitas relacionadas ao empenho do governador mineiro Aécio Neves e do diretório regional em uma futura campanha de Serra no segundo colégio eleitoral do País, o deputado federal Nárcio Rodrigues, presidente do PSDB-MG, solicitou uma audiência com o governador paulista para levar um compromisso "institucional" do diretório mineiro com sua provável candidatura.

Antes, Nárcio deverá ter um encontro com o presidente da legenda tucana em São Paulo, o também deputado federal Mendes Thame.

Durante reunião na noite de segunda-feira, a Executiva Estadual aprovou um comunicado formalizando o apoio às candidaturas do governador Aécio Neves ao Senado, do vice Antônio Anastasia ao governo do Estado e de Serra à Presidência, garantindo que o diretório regional e os aliados de governador mineiro "estão totalmente comprometidos" com o nome do paulista.

"Não estamos cobrando dele nenhuma posição, uma vez que ele já deixou muito claro que ele só vai se posicionar no final desse mês, início de abril. Mas o que nós precisamos deixar claro é que no que depender de Minas Gerais, o governador José Serra pode colocar sua candidatura que terá de nós toda solidariedade, todo apoio", disse Nárcio.

A manifestação oficial do PSDB foi decidida após surgirem notícias na imprensa mineira da possibilidade de reedição no Estado do "Lulécio" - o voto simultâneo em Aécio e no presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que marcou a eleição de 2006 no Estado -, desta vez com outros atores.

Prefeitos aliados ao governo estadual, principalmente do norte e vales do Mucuri e Jequitinhonha, regiões mais pobres do Estado, já cogitam deflagrar um movimento batizado de "Dilmasia" - em referência à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata petista ao Palácio do Planalto, e ao vice-governador e candidato do PSDB à sucessão estadual, Antônio Anastasia. O fato deixou a em alerta a cúpula tucana no Estado.

O presidente do PSDB já fala em "Anastaserra" em Minas. "Vamos refutar com veemência qualquer tipo de composição aqui que não obedeça a lógica partidária, as convicções que nós temos de que a candidatura Serra, juntamente com a candidatura Anastasia representam o melhor para Minas e para o Brasil nesse momento", disse Nárcio, que vem sendo cotado para assumir a coordenação da eventual campanha de Serra em Minas, em um gesto claro de compromisso de Aécio.

O governador combinou a visita de Nárcio ao colega paulista, classificando-a como necessária e adequada. "Vamos lá cumprir uma tarefa oficial, levando uma posição partidária, institucional. É muito importante que fique claro para todo Brasil a posição do grupo liderado pelo governador Aécio Neves".

Da reunião no Palácio dos Bandeirantes deverá participar também o secretário da Casa Civil do governo paulista, Aloysio Nunes Ferreira Filho. O presidente do PSDB-MG garante que não existe "magoa" e "ressentimento" entre os tucanos do Estado pelo fato de Aécio ter sido preterido na disputa interna.

"Ninguém está com olho no retrovisor nesse momento. Nós estamos todos olhando pelo para-brisa, vamos tocar para frente", afirmou Nárcio. "O Serra, eu tenho certeza, fará um programa de governo que vai incluir Minas Gerais, vai dar a Minas o sentimento de que nós pertencemos ao projeto nacional do PSDB."

Leia mais sobre eleições 2010

    Leia tudo sobre: eleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG