Os agentes da Divisão de Controle de Vetores, da Secretaria de Saúde de Ribeirão Preto (SP), continuam fiscalizando os imóveis fechados, com liminar da Justiça, e também borracharias da cidade, para identificar e eliminar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti. Até o final desta tarde, o município já tinha a confirmação de 2.

314 casos de dengue. A preocupação com o crescimento da epidemia é grande, pois ainda existem 3.166 casos suspeitos da doença, e os meses de março e abril são os que mais preocupam, pois são os que mais registram casos todos os anos.

Pela manhã, os agentes de Saúde, com autorização judicial, visitaram uma residência no bairro Ipiranga, que estava fechada. Proprietários não estavam no local e, acompanhados de um oficial de Justiça e da Guarda Municipal, entraram com a ajuda de um chaveiro. Um caminhão de entulho foi retirado e outro deverá ser transportado amanhã. Os agentes encontraram criadouros do mosquito dentro e fora da casa. Aranhas e escorpiões também foram encontrados.

Os vizinhos estavam preocupados com a situação. À tarde, numa borracharia dos Campos Elíseos, foram encontrados 12 focos. A chuva interrompeu os serviços e os agentes irão voltar, pois estimam que existem cerca de 100 criadouros no local. A borracharia é reincidente em ter focos de dengue.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.