Contas do Senado na Caixa não tiveram movimentações recentes, diz Heráclito

BRASÍLIA - O primeiro-secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), disse nesta quarta-feira que aparentemente as contas bancárias abertas em nome da Casa na Caixa Econômica Federal não tiveram movimentações recentes. Ele evitou qualquer posicionamento sobre o assunto até que tenha o resultado das investigações determinadas pelo presidente José Sarney (PMDB-AP).

Agência Brasil |

Heráclito afirmou que o fato pode ser apenas rotina administrativa de uma conta específica pertencente ao Senado. O parlamentar ressaltou, entretanto, que ninguém ficará sem punição caso seja constatado que a abertura de contas corrente e de poupança, na Caixa, são ilegais.

Não vamos concordar que nada seja encoberto ou vá para debaixo do tapete. Se houver fato delituoso nessa questão as pessoas responsáveis responderão por isso, garantiu Heráclito.

O primeiro-secretário disse que o momento de crise vivido pelo Senado é incômodo, mas necessário. Isso um dia teria que acontecer. Embora numa posição incômoda, porque sou o primeiro-secretário, tenho certeza que cumprirei com minhas tarefas. A história, ao me julgar, verá que não fui omisso e nem conivente com qualquer tipo de irregularidade cometida no Senado.

Sobre os 663 atos secretos levantados pela comissão de sindicância da Casa, o parlamentar disse que a apuração de cada um será mais complexa. De antemão sabemos que existem atos criminosos, outros de formalidade e outros que são dos gestores querendo angariar poder e prestígio com os beneficiados, afirmou.

Agora, acrescentou o senador, caberá aos técnicos que investigam o caso, dar o devido processo de apuração de cada ato, bem como a gradação de cada um deles. Heráclito trabalha com um prazo de até 15 dias para que esta análise seja feita.

    Leia tudo sobre: brasiliacontas públicassenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG