RIO DE JANEIRO (Reuters) - O consumo de gás natural no país voltou a perder força em abril depois de ter esboçado ligeira reação em março, caindo para 32,8 milhões de metros cúbicos diários, queda de 4,5 por cento contra o mês anterior, informou a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Natural (Abegás). À exceção do segmento residencial, todos os outros apresentaram queda. O resultado foi que, desde o ano de 2004, o consumo de gás natural não era tão baixo como o valor apresentado neste mês, informou a Abegás, culpando a falta de política energética e o preço do insumo, como principais causas do recuo.

Devido à alta do produto, muitas indústrias vem utilizando óleo combustível, aproveitando a queda do preço do petróleo no mercado internacional. O menor uso de usinas térmicas no início do ano também contribuiu para a redução do consumo de gás.

De janeiro a abril, o consumo de gás natural teve uma diminuição de 34,97 por cento se comparado ao mesmo período do ano passado. O segmento industrial, maior consumidor do insumo no país, registrou redução de 28,08 por cento nos primeiros quatro meses do ano.

O setor térmico teve queda de 60,3 por cento de janeiro a abril em relação ao consumo do primeiro quadrimestre de 2008.

"As indústrias consumiram menos, cerca de oito milhões de metros cúbicos por dia no período, disse a Abegás.

Segundo a associação, nos primeiros quatro meses do ano o consumo da indústria foi de 18,7 milhões de metros cúbicos diários, contra 26 milhões há um ano.

(Por Denise Luna)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.