Constituição Cidadã: sociedade civil vê benefícios, mas quer avanços

Vinte anos após a promulgação da atual Constituição Federal brasileira, também conhecida por Constituição Cidadã, representantes da sociedade civil reconhecem suas qualidades, mas apontam que ela tem menos efeitos sobre a vida dos brasileiros do que poderia. Segundo eles, apesar de seu caráter democrático, muitas de suas disposições ainda não se tornaram realidade.

Carollina Andrade e Severino Motta, Santafé Idéias |

Agência Brasil
Parlamentares votam a Constituição brasileira em 5 de outubro de 1988
Parlamentares votam a Constituição brasileira em 5 de outubro de 1988

Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, a sétima Constituição a reger o País é um instrumento à disposição do cidadão que ainda não foi inteiramente aplicada, apesar de ter inovado ao receitar que os direitos fundamentais sejam decisivos para caracterizar a democracia abraçada pelo Brasil, reconhecendo direitos até então suspensos pela ditadura militar.

A relevância da nova Constituição ao suceder o regime militar também foi apontada pelo presidente da ONG Transparência Brasil, Cláudio Abramo, mas ele acredita que este não é motivo suficiente para comemorações. O fato de ela suceder o regime militar fala por si só, qualquer que fosse a Constituição. O que interessa é o futuro", avalia.

"O fato de ela suceder o regime militar fala por si só, qualquer que fosse a Constituição. O que interessa é o futuro"

Perspectivas

O presidente da OAB cita o artigo 196, que estabelece a saúde como um direito de todos e dever do Estado, entre um dos principais avanços que se manifestou na sociedade brasileira. Pela primeira vez, o País reconhece a saúde como um direito social e estabelece que o direito à saúde é dever do Estado, reforça Cezar Britto.

Entre os aspectos positivos, ele aponta ainda a liberdade de organização sindical, inclusive para servidores públicos, reduzindo interferências do Estado sobre os movimentos sindicais.

O presidente da CUT, Arthur Henrique Silva, concorda, mas alerta que o País ainda precisa de regulamentação no que diz respeito à estrutura sindical. Os direitos dos trabalhadores estão assegurados, mas a Legislação para os sindicatos é muito conservadora, inibe a liberdade sindical, observa Silva.

Leia também:

  • 5 de outubro de 1988: Ulysses promulga "Constituição Cidadã"
  • Na histórica sessão, Sarney e constituintes juram cumprir e defender a Constituição
  • Defensor do Parlamentarismo, FHC diz hoje ter dúvidas sobre eficácia do sistema 
  • Lula, um dos constituintes, diz ter amadurecido politicamente nesses 20 anos
  • Constituição inaugurou maior período de estabilidade da história 
  • Constituição faz 20 anos com 62 emendas 
  • Retrocessos na economia acompanharam avanços sociais 
  • Constituição é resultado de uma revanche popular, diz cientista político 
  • Especialistas prevêem desafios para reforma em Constituição 
    • Leia tudo sobre: 20 anos da constituição

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG