Constantino deixa presídio e é levado ao Hospital do Coração

Advogados pediram e Justiça autorizou a realização de exames para verificar estado de saúde do empresário

Severino Motta, iG Brasília |

Futura Press
Nenê Constantino em foto de março deste ano quando ainda era presidente do conselho da Gol
O empresário Nenê Constantino, 79, pai de Constantino de Oliveira Júnior, presidente da companhia aérea Gol, deixou o presídio da Papuda, em Brasília, e foi levado para o Hospital do Coração, onde passará por exames. De acordo com a Sub-Secretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal, caso nenhuma anomalia seja constatada ele deve retornar ao presídio.

Nêne está preso desde a noite de quarta-feira sob acusação de ter encomendado a tentativa de assassinato de seu genro Eduardo Queiroz, em 2008. Ele foi detido enquanto participava de audiência de outro outro processo de assassinato, no qual é réu.

Trata-se da morte do líder comunitário Márcio Leonardo de Sousa Brito. De acordo com informações do Tribuanl de Justiça do DF, consta na denúncia que a motivação do crime foi o fato da vítima morar em uma invasão ao lado de uma de suas empresas. Se recusando a deixar o local, o empresário teria dado ordem para que ele fosse executado.

A defesa de Constantino foi quem pediu à Justiça que o empresário fosse levado ao hospital para exames. O advogado de Nenê ainda deve ingressar com um pedido de liberdade nesta quinta-feira. O argumento a ser usado para colocar o fundador da Gol em liberdade ou em prisão domiciliar pode estar ligado a seu estado de saúde.

    Leia tudo sobre: golnenê constantinoprisão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG