Conselho não constata maus-tratos em filhos de Nardoni

As conselheiras tutelares que hoje fizeram uma visita de cerca de duas horas a P., de 3 anos, e C.

Agência Estado |

, de 1, filhos de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella Nardoni, não constataram maus-tratos nas crianças. A informação foi dada pelo secretário-geral do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe), Ariel de Castro Alves. "As crianças estão tranqüilas, mas, de qualquer forma, elas estão convivendo com pessoas acusadas de um crime brutal contra também uma criança, no caso a própria irmã deles."

Alves ressaltou que, desde o dia 29, data da morte de Isabella, P. não freqüenta a escola. "É fundamental que isso volte ao normal, ou que algum educador do colégio fosse até a residência dele. É bom que ele volte ao convívio com outras crianças, e não fique nessa espécie de prisão domiciliar que vêm vivendo com seus pais", afirmou.

A visita do Conselho Tutelar da Criança e Adolescente de Guarulhos, na Grande São Paulo, foi pedida no dia 28, segundo ele. Na quarta-feira, quando conselheiras estiveram na casa em que estão Alexandre Nardoni e Anna Carolina, foram atendidas apenas pelo interfone por uma pessoa que se identificou como pai das crianças e negou a entrada no apartamento.

"Posteriormente, o Condepe ameaçou e alertou os advogados e a família que impedir ou embaraçar a atuação do Conselho Tutelar configura crime previsto no artigo 236 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), com pena de detenção de seis meses a dois anos", afirmou o secretário-geral do Condepe. Depois da ameaça, os advogados do casal procuraram o Condepe e agendaram a visita de hoje. Segundo Alves, o Conselho Tutelar da Criança e Adolescente ainda deve fazer novas visitas aos menores, mas ainda não há data marcada.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG