Conselho de Defesa pode ser definido na cúpula d Unasul--Jobim

ASSUNÇÃO (Reuters) - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, assegurou nesta terça-feira que as gestões para a criação do Conselho Sul-Americano de Defesa estão avançadas e que os presidentes poderão tomar uma decisão política durante a cúpula da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), no dia 23, em Brasília. Já falamos com Venezuela, Guiana, Suriname, Colômbia, Equador, Peru e agora com o Paraguai. Todos têm posições no sentido da necessidade de criação do conselho, porque é uma forma pela qual a América do Sul pode ter uma posição internacional muito importante, afirmou Jobim a jornalistas na capital paraguaia.

Reuters |

Na próxima semana, Jobim conversará com Argentina, Chile, Uruguai e Bolívia.

Durante sua breve visita ao Paraguai, Jobim se reuniu com o presidente Nicanor Duarte, com o ministro da Defesa, Nelson Mora, e tinha encontro previsto com o presidente eleito Fernando Lugo.

O ministro brasileiro disse que o conselho não pretende ser operacional, e buscará fomentar a transparência, a cooperação e o intercâmbio de informação, de tecnologia e de pessoal militar. Recentemente, Jobim afirmou que o Brasil pretendia ocupar determinados nichos do mercado bélico regional.

'(Buscamos) que a defesa integre também o desenvolvimento econômico porque toda a indústria de defesa é dual', disse Jobim, citando como exemplo a Embraer, 'que nasceu como uma indústria de defesa e hoje é uma grande empresa com presença mundial na avaiação civil'.

O ministro paraguaio de Defesa manifestou a adesão de seu governo ao projeto, que considerou 'razoável e histórico'.

'Essa é uma proposta que esperamos que os senhores presidentes possam formatar na reunião de Brasília, um foro onde se poderá discutir com um critério não operacional estratégias e sistemas que fazem a defesa da América Latina', disse Mora.

(Reportagem de Mariel Cristaldo)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG