O presidente do Conselho de Ética do Senado, Paulo Duque (PMDB-RJ), anunciou no começo da noite o arquivamento da primeira denúncia apresentada ao colegiado contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Essa denúncia era sobre as suspeitas de que Sarney teria beneficiado o neto José Adriano Sarney, em operações de crédito consignado de funcionários da Casa.

"O documento se limita a citar pretensos fatos", argumentou Duque.

Ele acrescentou ainda que o Supremo Tribunal Federal (STF) exige que a prova não seja limitada a recortes de jornal. O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) interrompeu Duque para dizer que o STF não permite recorte de jornal na condenação, mas aceita para a abertura de investigação. O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse que vai recorrer da decisão. O recurso pode ser feito dois dias após a publicação da decisão no Diário do Senado, ao plenário do Conselho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.