Caminho - Brasil - iG" /

Conheça e entenda algumas curiosidades do hinduísmo mostradas em Caminho

¿O hinduísmo tem mais de mil deuses e centenas de superstições¿, afirma a monja Bianca, presidente da Associação Cultural Índia Brasil. A religião hindu é um prato cheio de curiosidades para uma novela e ¿Caminho das Índias¿, da Rede Globo, tem aproveitado o vasto material em sua trama. Casamentos arranjados, hábitos influenciados pela Lua, rituais, jejuns, comportamentos que, naturalmente, despertam estranheza e curiosidade no público brasileiro.

Marina Morena Costa, repórter do Último Segundo |

Para religiosos e indianos, a trama não apresenta erros gritantes, mas exagera ao focar nos pontos mais tradicionais e polêmicos da cultura hindu. Eles fizeram uma boa pesquisa e o que mostram não é mentira, mas também não condiz totalmente com a Índia dos dias de hoje, diz Lakhi Daswani, de 58 anos, empresário indiano que vive há 30 anos no Brasil. Daswani pondera que muitos costumes apresentados na novela são antigos e praticados somente por famílias apegadas às tradições, quando praticados.

Casamento arranjado

Um dos principais preceitos do hinduísmo é a predestinação. Segundo a religião, o destino das pessoas está traçado desde o nascimento. Isto explica os casamentos arranjados e a importância dada ao mapa astral e às linhas da palma da mão.

Quando uma menina indiana nasce, seus pais chamam o astrólogo da família para fazer o mapa astral dela. Com o mapa pronto, ele começa a comparar o resultado com outras cartas astrólogas de meninos para encontrar uma super compatível, explica o monge Bhuvana Mohandas, de 63 anos.

Em alguns casos, explica a monja Bianca, quando há uma pequena incompatibilidade ou um mau carma, as pessoas casam-se primeiro com uma árvore, ou um animal, para que o segundo casamento seja perfeito.

Divulgação/Globo
Maya (Juliana Paes) casa com árvore para desfazer "maldição"

Castidade feminina

Bianca conta que nas ruas de Nova Dehli, capital do país, e Calcutá, cidade do extremo leste indiano, moças desfilam de calça jeans e ouvem Britney Spears em seus fones de ouvido. A cultura está mudando. Hoje as mulheres das grandes cidades não precisam se cobrir com o sári [vestimenta indiana tradicional] e trabalham, afirma. Porém, em cidades menores, apegadas às tradições, as solteiras devem ser recatadas e ter cuidado na hora de conversar com um homem. Se uma mulher olha para um homem e sorri, ela está se oferecendo para ele como uma prostituta, alerta.

Em geral a castidade e a pureza da mulher são mantidas, segundo Mohandas. O monge, que viveu 11 anos na Índia afirma que o ideal de mulher na Índia é a mulher mãe. Ao contrário do Ocidente, onde a mulher foi idealizada para ser objeto de desejo sexual, na Índia ela é vista como a mãe divina, como um ser completo. E deve ser protegida primeiro pela família e depois pelo marido, explica.

Acho que nunca é exagero proteger as mulheres. Na cultura indiana as mulheres são muito protegidas, não existe isso de um marido abandonar uma mulher com filhos, avalia Bianca. Mohandas lembra a importância da mulher para o hinduísmo: Vejo uma glorificação imensa do feminino, que é metade da divindade, a divindade é um casal.

Divulgação/Globo
Cena do casamento arranjado entre Maya (Juliana Paes) e Raj (Rodrigo Lombardi)

Filhos homens

Em Caminho das Índias, a personagem Surya sofre por não ter um filhos homem, drama real para as mulheres indianas. Na Índia, as filhas não têm direito ao patrimônio do pai, somente os filhos. Quando o pai morre, só um filho pode carregá-lo para a cremação, conta Daswani. Segundo o indiano, algumas mulheres chegam a provocar o aborto quando descobrem que esperam uma menina. É triste, mas acontece.

Amaury Porto de Oliveira, embaixador aposentado, responsável pela Ásia no Instituto de Estudos Avançados e Grupo de Análise da Conjuntura Internacional (GACINT) da Universidade de São Paulo (USP) afirma que a questão do dote, ainda presente na sociedade indiana, também aumenta a preferência por meninos. Os pais se endividam para fornecer o dote para a família do noivo, diz.

Alimentação

Os indianos têm uma relação com a alimentação bastante diferente da ocidental. A grande maioria é vegetariana, pois, segundo Mohandas, a cultura hindu prega a não violência e acredita que onde há vida, há alma. O respeito à vida é extremo. É desnecessário matar animais, estrangular, picar, para se alimentar. O ser humano não precisa disso. Podemos nos alimentar ricamente só com as dádivas da terra, afirma.

Os hindus comem com a mão direita, porque a esquerda é usada para coisas impuras, como lavar as partes íntimas. Na hora de comer, leva-se um pedaço do alimento à boca e não se deve encostar as mãos nos lábios, para que a saliva não contamine o alimento. Comer é um ato sagrado, afirma o monge. Caso a refeição tenha sido preparada por uma pessoa carnívora, um hindu pode se recusar a comer. Eles acreditam que o alimento é modificado pela consciência de quem prepara, de quem cozinha, conta Mohandas.

Bianca explica a importância da vaca na sociedade hindu: Ela é muito querida e sagrada, porque é a nossa mãe, quem dá o leite. Os outros animais também são protegidos, pois são tidos como irmãos menores. No entanto, a monja conta que nas grandes cidades há restaurantes e redes de fast food que sevem carne, cabrito, ovelha ¿ uma vez que cristãos e muçulmanos, minorias na Índia, não são vegetarianos. É a perda dos costumes tradicionais.

Índia Raio-X
Fontes: Consulado da Índia no Brasil, Reserve Bank of India, Relatório do IDH e The World Factbook (CIA)
Religião: Hindus 80,5%; muçulmanos 13,4%; cristãos 2,3%, sikhs 1,9%, outros1,9%, (censo de 2001)
Línguas: Há 14 línguas oficiais. As principais são híndi, urdu e bengali. O inglês tem presença marcante por causa da colonização inglesa, mas não é oficial


Lua

A Lua tem uma influência grande sobre os hindus, dependendo de sua fase fecham negócios, assinam contratos ou adiam a decisão. Daswani explica que a relação entre a Lua e o comportamento humano está no fato de o corpo humano ser composto por dois terços de água. A Lua tem tanto poder, que mexe com as marés. Portanto tem efeito também no cérebro e no corpo humano. Durante a Lua cheia, os hindus jejuam, rezam e não tomam decisões importantes, nem firmam contratos, porque o cérebro não está em perfeita sincronia, explica.

Para os hindus, é durante a Lua cheia que acontecem mais acidentes e mais brigas. A religião hindu é mais do que uma religião, é um way of life (modo de vida). As crenças são científicas e medicinais, assim como a nossa comida, afirma o indiano.

Chá

Os indianos têm o costume de tomar cha, mas segundo Daswani este não é um hábito milenar. Os ingleses queriam vender chá e começaram a servir chá gratuito para a Índia toda e espalhar plantações pela área rural. Isso vicia, claro, e daí criou-se o costume, conta.

Internet e celular

Reflexo da economia aquecida, a sociedade é uma das maiores consumidoras de telefones celulares e usuárias da internet. A Índia tem aproximadamente 296 milhões de linhas de celular e 80 milhões de internautas. Bianca conta que mesmo na área rural, é possível encontrar uma lan house: Fiquei hospedada em uma vila de ruas de terra, e tinha uma loja com internet com ar condicionado. Muitos acessam a internet com a conexão pelo celular e ligam até redes em um aparelho móvel.

Veja no mapa as locações da novela:

Exibir mapa ampliado

Leia também :

Leia mais sobre : Caminho das Índias  e Índia

    Leia tudo sobre: caminho das índiashinduísmonovelareligião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG