Congresso demite 189 parentes

Após dois meses da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de proibir o nepotismo nos três Poderes, a Câmara e o Senado demitiram 189 parentes de parlamentares e de servidores que têm cargos de chefia no Congresso. A maioria dos exonerados é ligada a parlamentares - dos 102 demitidos na Câmara, 87 são familiares de deputados.

Agência Estado |

No Senado, dos 87 demitidos, 46 são parentes até 3º grau de senadores.

Um dos campeões na contratação de parentes na Câmara é o deputado João Magalhães (PMDB-MG): ele tinha quatro familiares em seu gabinete - mulher, pai, sogra e sobrinho. Juntos, recebiam R$ 11.540,68. O deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) é outro que também empregou no gabinete quatro parentes (mulher, filho, irmão e sobrinha). Juntos, ganhavam R$ 24.735,52.

O primeiro lugar no ranking ficou com o senador Efraim Morais (DEM-PB), primeiro secretário do Senado, que tinha sete parentes trabalhando na Casa.

Parentes de ex-deputados, que perderam o mandato ou morreram, não foram exonerados. Também não foram atingidos assessores com cargos em comissão na Câmara que são parentes de políticos sem mandato.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG