Congestionamento na Régis Bittencourt aumenta viagem em 8 horas, diz PRF

Quem se programou para passar o carnaval na região Sul do País vai precisar de muita paciência durante a viagem, segundo a concessionária Autopista, responsável pela Rodovia Régis Bittencourt. Desde terça-feira, a rodovia está interditada no quilômetro 552, em Barra do Turvo, por causa de um grande deslizamento de terra e registra cerca de 30 quilômetros de tráfego lento no sentido Curitiba. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), para superar esse congestionamento, os motoristas estão levando, em média, 8 horas a mais de viagem.

iG São Paulo |

AE
Congestionamento causado por deslizamentos de terra na Régis Bittencourt

A orientação da Autopista, de acordo com nota, é para que os usuários "adiem a viagem, se possível", pois não há previsão de liberação. O local congestionado não dispõe de infraestrutura mínima para esse volume de veículos, tal como postos de serviço com combustível, sanitários e restaurantes, além da falta de sinal de telefonia móvel e telefones públicos. A expectativa da concessionária é de que ao menos uma faixa no sentido Paraná seja liberada ainda nesta semana.

Por volta das 10h30 desta quinta-feira, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) implantou a operação siga e pare, na qual o fluxo de veículos no sentido São Paulo será bloqueado para liberar o sentido contrário, que está mais congestionado. A rodovia tem 30 quilômetros de lentidão no sentido Curitiba e 4 quilômetros de tráfego lento no sentido São Paulo.

Erosões no asfalto, quedas de barreiras e interdições por causa de obras são problemas que esperam os 2 milhões de motoristas que devem deixar a capital paulista durante o feriado. Como consequência direta das fortes chuvas de janeiro, há problemas de tráfego em pelo menos 93 pontos de 56 rodovias estaduai s diferentes, administradas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Na Régis, o tráfego segue, em mão dupla, pelo sentido contrário, num desvio que vai do quilômetro 543 ao quilômetro 546. Nesta quarta, a Autopista chegou a registrar 40 quilômetros de lentidão no sentido Curitiba e 14 quilômetros no sentido São Paulo. Quatro retroescavadeiras e seis caminhões basculantes eram utilizados pelas equipes de engenharia e conservação no trabalho de limpeza, mas havia dificuldade de "estabilização do terreno".

Rota de fuga

O motorista que quer fugir do trânsito tem opções mais longas. Se a escolha for a Rodovia Castelo Branco até Ourinhos, seguindo pelas PR-092, PR-151 e BR 376, são 793 quilômetros. A viagem leva aproximadamente 10h30, sem considerar o fluxo de veículos do feriado. Também é possível chegar a Ourinhos pela Rodovia Raposo Tavares e prosseguir no Paraná pelas estradas já citadas. Dessa forma, a viagem seria de 11h30, com 809 quilômetros.

A opção mais curta é a SP-250, com 490 quilômetros, percorridos em aproximadamente 7 horas. Entretanto, essa rodovia apresenta duas interdições por erosão - uma na pista sul, no quilômetro 307, altura de Apiaí, e outra no quilômetro 351, em Ribeira, onde há um solapamento.

* com informações da Agência Estado

Leia mais sobre: Régis Bittencourt

    Leia tudo sobre: regis bittencourt

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG