Um dia depois de o presidente Luiz Inácio da Silva inaugurar a estação de metrô de Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro, os usuários do transporte sofreram para chegar ao trabalho. No início da manhã houve intervalos de 15 minutos entre trens, quando o normal é de 4 minutos, e superlotação em várias estações.

A falta de informação sobre o funcionamento da conexão direta entre Pavuna, na zona norte, a Botafogo, na zona sul, também provocou transtornos.

O problema no metrô trouxe constrangimento ao secretário Estadual de Transportes, Júlio Lopes, que havia convocado a imprensa para acompanhá-lo na inspeção do primeiro dia de funcionamento. Passageiros irritados reclamaram, vaiaram e ele precisou sair da estação.

De acordo com a assessoria de imprensa do Metrô Rio, os atrasos aconteceram porque algumas composições ainda estavam no centro de manutenção fazendo a inspeção diária às 7h. Além disso, a conexão Pavuna-Botafogo, que está funcionando das 5h às 8h e das 17h às 19h, trouxe confusão. A Linha 2 circulava somente até a Glória, o que deixou a estação, que é pequena, com passageiros se espremendo na plataforma para esperar outra composição e seguir viagem em direção a Ipanema. Algumas pessoas passaram mal.

A conexão Pavuna-Botafogo será implantada de forma gradual até fevereiro, quando está prevista a conclusão da estação Cidade Nova, em frente à prefeitura. O Metrô Rio orienta os usuários por meio de avisos dentro das composições e painéis luminosos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.