Confronto deixa 12 mortos e 8 feridos no Rio

RIO DE JANEIRO - A Polícia Militar do Rio de Janeiro confirmou na tarde deste sábado que ao menos 12 pessoas morrerram - dois policiais e 10 traficantes - em um confronto entre traficantes na zona norte do Rio de Janeiro. Segundo o comandante-geral da PM-RJ, Mário Sérgio Duarte de Brito, outros seis policiais e dois moradores que não teriam ligação com o tráfico de drogas ficaram feridos.

Redação com agências |

Durante uma operação policial no morro dos Macacos, em Vila Isabel, na zona norte do Rio, um helicóptero foi atingido e explodiu ao fazer um pouso forçado, causando a morte de dois policiais. A aeronave, parcialmente blindada, dava apoio a uma operação com 120 homens da PM para acabar com o confronto entre traficantes na guerra de disputa por pontos de vendas de drogas no Morro dos Macacos.

Os soldados mortos foram identificados como Marcos Macedo e Edinei Canavarro de Oliveira. Entre os feridos estão três cabos, dois capitães e o major José Busnello, atirador de elite, que ganhou notoriedade depois de atingir a longa distância um assaltante de uma farmácia na Tijuca.

Futura Press

Helicóptero cai em campo de futebol após ser atingido por tiros


De acordo com a PM, duas pessoas foram detidas pela polícia, entre elas, um menor de idade. "Não temos notícias de pessoas não engajadas [no tráfico] entre os mortos no confronto", informou o comandante-geral da Polícia Militar do Rio de Janeiro, em entrevista coletiva nesta tarde.

Responsáveis identificados

De acordo com o Secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, a polícia já sabe quem foram os responsáveis pelo ataque ao helicóptero. "Vamos atrás dos responsáveis. O trabalho de inteligêncía está muito forte", garantiu.

O delegado Alan Turnowski, chefe da Polícia Civil no Estado, prometeu "resposta à altura", mas "dentro da legalidade". "A polícia está muito tranquila que dará essa reposta, como sempre deu", disse.

A assessoria da Polícia Militar do Rio diz que "em princípio, bandidos do Complexo do Alemão e do Jacarezinho invadiram o Morro dos Macacos, através do Morro São João por volta das 3h da manhã deste sábado".

Ônibus queimados

De acordo com as autoridades policiais, oito ônibus foram incendiados na zona norte do Rio de Janeiro por conta do conflito. A PM informou, entretanto, que não tem informações da parte das empresas de ônibus.

AE

Pelo menos 2 ônibus incendiados
tinham passageiros

Segundo o Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio de Janeiro, pelo menos 10 ônibus haviam sido incendiados nas favelas do Jacarezinho e da Mangueira, assim como no bairro do Riachuelo, todos na zona norte carioca.

Conflitos

A Secretaria estadual de Segurança do Rio de Janeiro atribuiu os ataques contra os ônibus a uma tentativa dos traficantes de desviar a atenção e de impedir que a Polícia concentre suas ações de repressão nas favelas em conflito.

O comando da Polícia Militar do Rio de Janeiro informou que ordenou que delegacias de outras áreas da cidade reforcem a presença policial nos locais em que os ônibus foram incendiados para poder concentrar os batalhões de choque nos locais de confronto de traficantes.

Cerco policial

Homens da Polícia Militar e da Polícia Civil organizam um cerco em quatro favelas do Rio de Janeiro dominadas pela facção criminosa Comando Vermelho. Homens da PM fazem um cerco nas favelas do Jacarezinho e Manguinhos.

Já a Polícia Civil faz o patrulhamento no entorno da Mangueira, Complexo do Alemão e Vila Cruzeiro.

O objetivo do cerco é evitar que traficantes do Comando Vermelho retornem às favelas. A informação não oficial é de que os traficantes continuariam escondidos no Morro São João, vizinho ao Morro dos Macacos. Há instantes, nova troca de tiros ocorreu no Morro do Quieto, que integra o complexo de favelas do São João.

Veja o vídeo sobre a queda do helicóptero (o número de mortos foi atualizado após a publicação do vídeo):


(Com informações da EFE e da Agência Estado)

Leia mais sobre Rio de Janeiro

    Leia tudo sobre: violência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG