A equipe médica do Centro Hospitalar de Santo André acaba de confirmar a morte da adolescente Eloá Cristina Pimentel da Silva, de 15 anos, que foi baleada na sexta-feira pelo ex-namorado, Lindembergue Alves, de 22 anos, depois de ter sido mantida refém por cinco dias em seu apartamento, no ABC paulista. Segundo os médicos, a morte cerebral foi detectada às 23h30 de sábado, após a realização de exames clínicos, laboratoriais e gráficos.

O secretário de saúde de Santo André, Homero Nepomuceno Duarte, disse que testes comprovaram a falta de oxigenação do cérebro e de fluxo sanguíneo nas artérias cerebrais, confirmando o que já havia sido constatado nos exames realizados à tarde.

A equipe médica aguarda a decisão da família de Eloá sobre a doação dos órgãos da adolescente. "Estamos tendo todo o cuidado na abordagem à família para não parecermos que estamos sendo oportunistas, mas sim preocupados com a assistência a terceiros", acrescentou o secretário. Uma equipe do hospital já está preparada para a retirada dos órgãos, se a família decidir doá-los. "Caso a família decida pela não doação dos órgãos, a paciente continuará ligada aos aparelhos, até o desfecho final", informou Duarte. Ele afirmou que não é possível saber por quanto tempo a adolescente ainda se manterá viva tendo em vista a idade dela e o bom estado de todos os seus órgãos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.