RIO DE JANEIRO, 23 de outubro (Reuters) - A confiança do consumidor brasileiro melhorou em outubro para o maior patamar desde maio de 2008, segundo pesquisa da Fundação Getulio Vargas divulgada nesta sexta-feira. O índice subiu 2,2 por cento contra setembro e 13,3 por cento ante igual mês do ano passado, para 113,6 pontos, com ajuste sazonal. Apesar de voltar ao patamar pré-crise, a FGV avaliar que o estado de graça verificado em março de 2008 só deve se repetir no começo de 2010.

Março do ano passado marcou o recorde do otimismo do consumidor brasileiro, a 119,2 pontos.

"O cenário é de recuperação da confiança do consumidor, porém o mais provável é que só no início do ano que vem o consumidor volte a satisfação plena", disse o economista da FGV, Aloisio Campelo.

"Estamos mais próximos do pico do que do vale que aconteceu no auge da crise, naquele setembro negro. Nessse momento, o nível de confiança no Brasil já está de volta ao pré-crise, o que não acontece na Europa, EUA e Argentina."

Ele frisou que o humor do consumidor caminha junto ao ritmo de crescimento da economia.

O componente de situação atual aumentou 5,6 por cento em outubro, para 121,7 pontos, no sexto mês seguido de alta.

O componente de expectativas passou de 109,1 em setembro para 109,3 pontos neste mês.

O resultado geral da sondagem foi puxado pelo aumento da confiança em São Paulo com variação de 3 por cento, acima da média nacional de outubro.

A escolha da cidade do Rio de Janeiro para ser sede dos Jogos Olímpicos de 2016 também melhorou o otimismo do carioca. Depois de meses em queda, o índice de expectativas cresceu 3,3 por cento no mês de outubro, bem acima da média nacional.

A sondagem é feita em mais de 2.000 domicílios em sete das principais capitais brasileiras. Os dados foram coletados entre

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier; Edição de Vanessa Stelzer)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.