Condutor admite que não estava em trem que andou sozinho no Rio

O condutor do trem da SuperVia que andou sozinho por mais de cinco quilômetros no ramal Japeri admitiu nesta terça-feira que estava fora da composição quando ela saiu da estação Ricardo de Albuquerque. Em depoimento à polícia, Márcio José Pereira, de 40 anos, disse que havia saído do trem porque uma luz amarela no painel de controle alertava sobre um problema no penúltimo vagão.

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

Segundo a polícia, o maquinista relatou que, ao deixar a cabine, ele acionou o freio e caminhou pela linha férrea. Quando estava voltando, o trem começou a andar. Passageiros teriam o alertado que um homem, com uma mochila nas costas, teria deixado a cabine.

Com o depoimento do condutor, a Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados trabalha agora com três hipóteses: falha humana, falha técnica ou ação humana intencional, podendo ser caracterizada como vandalismo ou sabotagem. De acordo com a polícia, um laudo técnico que está sendo preparado e imagens feitas por câmeras localizadas na estação Ricardo de Albuquerque irão ajudar nas investigações.

Agência reguladora

A Agência Reguladora de Transportes Públicos do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp) recebeu nesta terça-feira um relatório da concessionária SuperVia com as informações preliminares sobre o acidente ocorrido na manhã de segunda-feira. De acordo com a Agetransp, o documento, no entanto, não satisfazem os questionamentos feitos. A agência reiterou em novo ofício a solicitação e lembrou que o atraso na resposta poderá gerar uma penalidade à concessionária.

Segundo o relatório enviado pela SuperVia, uma Comissão de Investigação foi instalada e o laudo técnico com os questionamentos sobre o acidente será entregue à Agetransp em 30 dias. O documento da SuperVia informa, ainda, que a comissão está trabalhando junto à Polícia Civil na apuração dos fatos. Peritos da concessionária estiveram no local e no trem recolhendo dados e depoimentos.

De acordo com relatos de passageiros, um trem do ramal Japeri, que saía da estação Ricardo de Albuquerque, andou por mais de cinco quilômetros sem maquinista na manhã de segunda-feira e só parou, próximo à estação Oswaldo Cruz, porque a energia elétrica foi cortada. No início do trajeto, algumas pessoas pularam da composição, mas não houve feridos.

Leia também:

Leia mais sobre: SuperVia

    Leia tudo sobre: superviatrem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG