Tamanho do texto

A Faculdade dos Imigrantes (FAI), de Caxias do Sul, na serra do Rio Grande do Sul, foi condenada a multa de R$ 8,3 mil por prática de publicidade enganosa, ao forjar nomes de alunos não-inscritos nos vestibulares de 2002, 2003, 2004 e 2005. A fraude foi descoberta por acaso pelo Cartório Eleitoral de Caxias em 2005, que recrutava jovens da cidade para trabalhar nas eleições.

Ao procurar os nomes que constavam na lista dos aprovados, o Ministério Público (MP) descobriu que eles não conheciam o município.

Um exemplo: no vestibular de verão de 2004, foram publicados nomes de 172 vestibulandos que prestaram provas nos cursos de medicina e fonoaudiologia da Escola de Ciências Médicas de Alagoas. Na realidade, os inscritos na FAI foram 109, sendo 77 os aprovados. A promotora Janaína de Carli dos Santos recorrerá da decisão da juíza Dulce Ana Gomes Oppitz. Janaína prepara um recurso para apresentar ao Tribunal de Justiça (TJ) com o objetivo de contestar a sentença de primeira instância, pedindo aumento do valor da multa aplicada. "Foi uma conduta dolosa da faculdade, pois pessoas sabiam muito bem o que estavam fazendo", argumentou. Os diretores da FAI, Marco Aurélio Canali e Mauro Trojan, não quiseram se manifestar sobre o assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.