Concurso no MT foi suspenso por falha na distribuição

O governo de Mato Grosso deve divulgar quarta-feira a nova data para a realização das provas do concurso público do Governo do Estado, suspenso hoje. As provas devem ocorrer ainda este ano.

Agência Estado |

Segundo o secretário de Estado de Administração, Geraldo de Vitto Jr, o principal motivo do cancelamento das provas foi a logística de distribuição das provas.

Durante entrevista coletiva na tarde de hoje, o secretário esclareceu que serão tomadas todas as providências para que as provas sejam realizadas ainda em 2009 para cumprir o calendário eleitoral. "Podemos chamar algumas carreiras que são de apenas uma fase até abril do ano que vem e, para cumprir este calendário, as provas devem ser feitas até o final do ano", explicou. Segundo De Vitto, o Governo já iniciou um novo planejamento do concurso. "Queremos deixar claro que o concurso foi suspenso, e não cancelado", finalizou.

Adiamento

O Governo de Mato Grosso anunciou, às 12h deste domingo, o cancelamento das provas do concurso público para o provimento de 10.086 vagas, em decorrência de problemas de logísticas ocorridos na parte da manhã.

O secretário Geraldo de Vitto Junior descartou qualquer possibilidade de ter ocorrido fraude no concurso público do Governo do Estado e afirmou que o principal motivo do cancelamento das provas foi a logística de distribuição das provas.

Segundo o secretário, os acontecimentos ocorridos no Centro Universitário Unirondon culminaram para o cancelamento das provas do concurso. "Foi uma questão de logística, que gerou certo tumulto entre os candidatos, e que foram decisivos para tomarmos esta decisão do cancelamento das provas. Sacrificamos esta prova para mantermos a transparência e lisura do concurso".

De Vitto lembrou que as provas foram realizadas em 16 cidades polos do Estado e que foram registrados transtornos em poucas instituições de ensino. "Os problemas foram rapidamente sanados nas outras localidades, apenas na Unirondon que ficou insustentável", assumiu.

Todo o processo de transporte dos malotes das provas foi realizado pelos Correios e acompanhado pela Polícia Militar e Polícia Judiciária Civil. "Podemos garantir 100% de que não houve vazamento de prova de forma alguma. Denúncias nesse sentido sempre vão ocorrer como em qualquer outro concurso, mas é preciso que apresentem provas. Com provas iremos agir", ressaltou o reitor da Unemat, Taisir Karim.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG