Concerto em Jerusalém usa violinos salvos dos nazistas

Por Ari Rabinovich JERUSALÉM (Reuters) - Dezesseis violinos usados por vítimas do Holocausto - inclusive um que teve o estojo usado para contrabandear explosivos que detonariam uma base nazista - foram usados na quarta-feira em um concerto em Jerusalém.

Reuters |

"Cada violino tem sua história", disse Amnon Weinstein, 69 anos, que junto com seu filho passou mais de uma década restaurando violinos recolhidos em toda a Europa.

Weinstein disse ter recebido os violinos em diversos estados de conservação. Muitos vinham decorados com a estrela de Davi, testemunho de sua passagem por mãos judias. "Ao restaurar seus violinos, seu legado renasce", disse Weinstein, que perdeu a maior parte dos parentes no Holocausto.

Esses instrumentos tocaram juntos pela primeira vez num concerto intitulado "Violinos da Esperança", com o conjunto israelense Raanana Symphonette e a Orquestra Filarmônica de Istambul.

À luz dos candelabros da Cidade Velha, milhares de pessoas viram o renomado virtuose israelense Shlomo Mintz interpretar "Avinu Malkeinu" ("Nosso pai, nosso rei"), obra que marca o Dia da Penitência para os judeus.

Um dos instrumentos apresentados, conhecido como "violino de Motele", pertenceu a um menino judeu de 12 anos que tocou para oficiais nazistas em Belarus em 1944.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG