Comunicações teve maior corte nominal de investimentos

O Ministério das Comunicações, que dispõe do maior contingenciamento de recursos em termos absolutos, no decreto publicado hoje no Diário Oficial da União, teve também o maior corte nominal de investimentos: R$ 2,6 bilhões. Em segundo lugar apareceu o Ministério do Turismo, com redução de investimentos da ordem de R$ 1,9 bilhão.

Agência Estado |

Outro ministério que teve corte significativo na limitação de empenho para investimentos foi o da Integração Nacional, com pouco menos R$ 1,2 bilhão. O Ministério da Saúde, que teve o segundo maior volume de cortes em termos absolutos, recebeu um contingenciamento de investimentos da ordem de R$ 798,2 milhões.

Segundo o diretor de Assuntos Fiscais do Ministério do Planejamento, George Soares, os cortes de investimentos ocorreram preferencialmente nos ministérios onde as ações são de menor porte e não têm caráter continuado. "Os ministérios que têm menos investimentos continuados sofrem mais, pois é melhor não começar (um empreendimento novo) do que parar obras que já estão em andamento", explicou Soares.

Ele destacou que, no caso do Ministério das Cidades, os principais investimentos são feitos no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), cujos recursos estão fora do contingenciamento. No Ministério do Turismo, destacou Soares, o limite de gastos de investimento e custeio pós-contingenciamento (R$ 395,5 milhões) ficou próximo do previsto no projeto de lei orçamentária, enviado ao Congresso no ano passado: R$ 500 milhões. Na lei aprovada, que incorporou uma série de emendas parlamentares, contudo, a dotação para o Turismo foi de R$ 2,6 bilhões.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG