Componente de DNA é identificado em meteorito de 1969

O meteorito Murchison, uma rocha espacial descoberta na Austrália em 1969, contém xantina e uracila, duas substâncias necessárias para a formação de DNA e RNA, moléculas essenciais para a vida na Terra, dizem cientistas dos Estados Unidos e da Europa na edição desta semana da revista especializada Earth and Planetary Science Letters. O meteorito reforça a tese de que bases da vida vieram do espaço.

Agência Estado |

No total, foram encontrados 70 aminoácidos no meteorito, mas apenas 6 são do mesmo tipo dos observados na Terra. Além disso, os átomos de carbono encontrados nas substâncias são de um tipo raro na Terra (carbono 13), o que praticamente garante que elas se formaram no espaço.

“Esses resultados demonstram que compostos orgânicos, que são parte do código genético na bioquímica moderna, já estavam presentes nos primórdios do sistema solar e podem ter desempenhado papel na origem da vida”, defendem os cientistas no artigo que descreve a descoberta. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG