Companhia Siderúrgica Nacional é autuada por poluição do ar em Volta Redonda

RIO DE JANEIRO ¿ O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) do Rio de Janeiro autuou a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) por ter poluído o ar na manhã desta terça-feira após um problema em um forno da Usina Presidente Vargas. Devido ao incidente, um pó preto foi lançado por cerca de três minutos atingindo o centro do município de Volta Redonda, no sul fluminense. O valor da multa pode variar entre R$ 1 mil e R$ 500 mil.

Redação |

De acordo com a CSN, por volta das 7h45 da manhã, ocorreram problemas no Alto-Forno 3, provocando um aumento da pressão interna. O crescimento repentino fez com que a válvula de segurança se abrisse, liberando o excesso de gases gerados no processo, como forma de aliviar a pressão interna para estabilização do sistema. O ocorrido resultou em um barulho semelhante ao de uma explosão.

Técnicos do Inea informaram que os poluentes liberados foram monóxido de carbono, dióxido de carbono e material particulado, principalmente carvão. Segundo analistas de qualidade do ar, serão necessárias 24 horas para elaborar o diagnóstico das condições do ar. No entanto, em função do ocorrido, independentemente dos valores de concentração de poluentes, pode-se avaliar o ar como inadequado. 

Segundo o Inea, devido às condições meteorológicas desfavoráveis, com nevoeiro e ventos fracos, a fuligem liberada demorou a se dissolver. Porém, ainda de acordo com o instituto, a aproximação de uma frente fria na noite desta terça-feira tende a favorecer a dispersão das partículas.

O Alto-Forno 3 da CSN possui capacidade para operar com carga de até dez toneladas e, por ocasião do sinistro, operava com apenas 9 toneladas. A fábrica possui dispositivos de segurança no sistema produtivo que são acionadas quando ocorre o aumento excessivo de pressão. Com o incidente desta terça-feira, calçadas e carros das redondezas ficaram cobertos pelo pó preto gerado.

Leia mais sobre: Companhia Siderúrgica Nacional

    Leia tudo sobre: csnsiderurgiasiderúrgicas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG