Como proteger os olhos durante o verão?

Como proteger os olhos durante o verão? Por Virgilio Centurion* A estação das férias, com sol a pino, é também época de enchentes, de maior risco de câncer de pele e de desidratação. Além de fazer uso do protetor solar, beber mais água e se alimentar com pratos mais leves, outros cuidados com a saúde devem ser observados, principalmente com os olhos, para evitar o aparecimento das doenças típicas do calor.

Agência Estado |

Um dos males típicos do verão é a conjuntivite, que se caracteriza por uma inflamação da conjuntiva, membrana delgada e transparente que reveste a parede do globo ocular e das pálpebras. Em geral, a doença acomete os dois olhos, perdura de uma semana a 15 dias, mas não costuma deixar seqüelas. A doença, que incomoda e atrapalha o período de férias, tem como principais sintomas: olhos vermelhos e lacrimejantes; pálpebras inchadas; sensação de areia ou de ciscos nos olhos; secreção e coceira.

Para se expor ao sol com segurança, é preciso comprar um bom óculos de sol. A utilização de óculos de sol cujas lentes não ofereçam proteção adequada é considerada mais perigosa do que simplesmente não usar um óculos de sol. A decisão de compra dos óculos de sol deve levar em consideração, primordialmente, o nível de proteção contra a radiação ultravioleta (UVA e UVB) que as lentes oferecem.

Para a prática de esportes no sol, o ideal é incorporar o uso de óculos de proteção. A importância do uso de óculos de proteção que absorvam e reflitam os raios solares durante a prática de esportes é uma questão de prevenção a possíveis doenças oculares. Atletas como alpinistas, esquiadores, pescadores e velejadores estão expostos a altas doses de raios UV que atingem os olhos.

Outra doença causada pelo excesso de exposição ao sol é o pterígio, um processo degenerativo da conjuntiva que pode se estender até a córnea, causando distorção da visão. Popularmente, é conhecido como 'carne no olho'. Na maioria dos casos aparece no canto interno do olho (nasal) e, em raras ocasiões, no lado temporal. O pterígio acomete indivíduos que habitam principalmente países de clima tropical, localizados próximo à linha do Equador e que trabalham expostos ao sol.

*Virgilio Centurion é oftalmologista, diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares, em São Paulo (SP).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG