Comissão deve concluir votação de reajuste para o Supremo e para o Ministério Público

BRASÍLIA -A Comissão de Constituição e Justiça do Senado analisa nesta quarta-feira os projetos de lei que reajustam os salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do procurador-geral da República, chefe do Ministério Público da União, em 8,88%. A matéria vai à sanção presidencial caso não haja recurso para que o plenário do Senado avalie as propostas.

Sarah Barros, repórter em Brasília |


Com parecer favorável do relator, senador Marco Maciel (DEM-PE), a tendência é que o texto seja aprovado da maneira como chegou da Câmara. As propostas preveem aumento do salário de R$ 24.500 para R$ 25.725 a partir de 1º de setembro deste ano. Em fevereiro do ano que vem, o valor deve chegar a R$ 26.723,13.

Inicialmente, as propostas previam uma elevação de 14,09% nos salários. Porém, os parlamentares retiraram um reajuste intermediário de 4,6 % previsto para novembro nos projetos. Os valores correspondem ao teto do serviço público, servindo de referência para demais tribunais e procuradorias.

O aumento para o Judiciário reacendeu as discussões sobre reajuste para o Poder Legislativo.  Ao votar as propostas há cerca de duas semanas, deputados defenderam a revisão de seus próprios salários, em um processo de equiparação de subsídios. Porém, a ideia é vista com cautela diante da possibilidade de elevar o desgaste do Congresso Nacional.

Leia mais sobre: Senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG