relação promíscua entre Forças Armadas e crime organizado no Rio - Brasil - iG" /

Comissão aponta relação promíscua entre Forças Armadas e crime organizado no Rio

BRASÍLIA - Relatório apresentado nesta quinta-feira pela comissão especial do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) que acompanha as investigações sobre a morte de três jovens no Morro da Providência, no Rio de Janeiro, aponta a existência de uma ¿relação promíscua¿ entre as Forças Armadas e o crime organizado na capital fluminense.

Agência Brasil |

O relatório está sendo apresentado em reunião do conselho e deverá ser votado ainda nesta quarta. O documento destaca que uma das principais constatações da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Armas é que 22% do armamento apreendido com criminosos no Rio pertence a militares.

O relatório também ressalta que a comunidade do Morro da Providência tinha como principal demanda a retirada imediata das tropas. Esse posicionamento, segundo a comissão especial, contraria a versão do Exército de que 75% dos moradores eram favoráveis à permanência dos militares.

Em entrevista no dia 24 de junho, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, anunciou que o Exército desocupou a Providência.

O relatório da comissão especial também sugere a adoção de quatro medidas pelo Poder Público: a garantia de reparação aos familiares das vítimas, a prestação de apoio psicológico, a proteção à vida de parentes e testemunhas ameaçados e a realização de palestras e distribuição de material na comunidade sobre os direitos do cidadão.

    Leia tudo sobre: providencia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG