Destruir a religião, produzir filmes pornôs para pagar as contas que se acumulam: é assim que as comédias de Hollywood, lançadas no Festival de Cinema de Toronto, rompem com o tradicional pudor do cinema americano.

"Você quer fazer sexo comigo diante de uma câmera, por dinheiro?", pergunta Zack (Seth Rogen), em tom solene, à amiga de infância e amor platônico Miri (Elizabeth Banks), em "Zack & Miri make a porno".

Com baixos salários, dois inquilinos de um apartamento em péssimo estado, em Pittsburgh (Pensilvânia), buscam, desesperadamente, pagar suas contas de luz em pleno inverno. A solução? Produzir um filme pornô e vendê-lo. A promessa? Não se apaixonarem um pelo outro.

Nesse filme sem tabus, sugestivo e com uma linguagem simples, onde as grosserias se repetem a cada diálogo, o diretor americano Kevin Smith entra em sintonia com uma cultura popular, na qual a pornografia é chave.

No elenco, Smith integrou Traci Lords, ex-estrela do cinema para adultos, e a atriz pornô Katie Morgan, reconhecidas por um público universitário que aplaudiu a comédia, calorosamente, em sua exibição de domingo na cidade canadense.

Muito provavelmente, esse filme universitário, que marcha ao ritmo do universo pornográfico, ganhará milhões de espectadores no outono (boreal) e, ao mesmo tempo, provocará muita polêmica com o público conservador americano.

Nos EUA, a indicação do filme é para "maiores de 17 anos", o que decepcionou seu diretor. E, embora tenha sido autorizado no Canadá, o cartaz promocional, que sugere o sexo oral entre Zack e Miri, foi proibido nos EUA.

Outra comédia, mais intelectual, atraiu a atenção no Festival de Toronto: "Religulous", contração das palavras "religion" e "ridiculous" (religião e ridículo, em português), dirigida por Larry Charles, depois do sucesso com as aventuras do repórter cazaque "Borat".

"Quero destruir mais do que desacreditar, destruir todo esse sistema", explicou o diretor.

Este ano, o Festival de Toronto abriu espaço para as comédias, gênero pouco apreciado pela crítica, mas adorado pelo público em geral.

Também participam do evento "Ghost town", de David Koepp, e "Nick and Norah's infinite playlist", com Michael Cera, ator revelado no filme canadense "Juno", no ano passado.

gl/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.