O julgamento do caso baiano, também conhecido como crime da motosserra, que acusa o ex-deputado federal Hildebrando Pascoal de comandar um grupo de extermínio que agia no Acre entre 1995 e 1999, começa hoje. Ele é acusado de amputar com uma serra elétrica as pernas e os braços do mecânico Agilson Firmino dos Santos, também conhecido como Baiano.

Segundo o Tribunal de Justiça, além de Hildebrando, serão submetidos a júri popular os acusados Pedro Pascoal Duarte Pinheiro Neto, Alex Fernandes Barros e Adão Libório de Albuquerque. Hildebrando Pascoal também é acusado no Acre de prática de crime organizado, tráfico de drogas, roubos de cargas e corrupção eleitoral. Ele está preso desde 1999 na Penitenciária Estadual de Segurança Máxima Antônio Amaro Alves, em Rio Branco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.