Os diques irregulares localizados na localidade de Lagoa Feia, divisa de Campos, norte fluminense, começaram a ser destruídos ontem pela Defesa Civil Estadual. Os técnicos da Secretaria de Rios e Lagoas (Serla) e da Universidade Estadual do Norte Fluminense descobriram, num vôo realizado anteontem sobre a cidade, a existência de diversos destes diques em trechos de rios que cortam propriedades rurais localizadas dentro do município.

Segundo o professor José Carlos Mendonça, essas construções contribuíram para a enchente do Rio Ururaí, que alagou diversos bairros da cidade, e precisam ser demolidos para que água escoe. Outro dique irregular deverá ser destruído hoje. No município, há cerca de 1.887 desabrigadas e 5.500 desalojados. Ontem, não choveu na cidade. O Estado enviou ao município mais 115 bombeiros de quartéis do Rio para reforçar os 254 lotados em Campos.

O secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, também sobrevoou a cidade. “Estamos preocupados com as doenças que surgem após os casos de inundações, como viroses, gripe, leptospirose, hepatite A e diarréias. Por isso já determinei que o Superintende de Vigilância em Saúde, Victor Berbara, se desloque para cá, para ajudar no trabalho dos agentes de vigilância do município nos abrigos”, disse Côrtes. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.