Começa amanhã o Festival de Campos do Jordão-SP

A relação entre música e literatura é o tema deste ano do Festival de Inverno de Campos do Jordão, em São Paulo. O festival começa amanhã à noite, no Auditório Claudio Santoro, com a apresentação da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e vai até o dia 27 e terá 50 apresentações.

Agência Estado |

A Orquestra Acadêmica, formada por alunos do festival, que desce a serra comandada por Kurt Masur para o concerto oficial de encerramento do festival na Sala São Paulo.

Masur é uma das estrelas da programação - Antonio Meneses, Nelson Freire, Glenn Dicterow, Jean-Louis Steuermann, Rosana Lamosa, Fernando Portari e outros solistas engrossam a lista, que, se já teve maior nome de estrelas internacionais, mantém um alto nível de qualidade, que deve render momentos musicais memoráveis no alto da serra. O compositor residente será o carioca João Guilherme Ripper. Não é apenas das mais interessantes vozes do cenário atual mas, também, autor que há tempos trabalha com a literatura, tendo, até mesmo adaptado Anjo Negro, de Nelson Rodrigues, para a ópera.

No concerto de abertura, a Osesp interpreta uma de suas obras, Desenredo , estreada pelo grupo há pouco mais de um mês na Sala São Paulo e repetida agora por conta da presença do compositor em Campos do Jordão; toca também a Sinfonia Manfred, escrita por Tchaikovski a partir do livro de mesmo nome de Lord Byron, que narra a busca de um homem por sete espíritos que possam perdoá-lo e assim aplacar a culpa secreta que carrega.

"A união das duas formas de expressão artística, música e literatura, gerou obras-primas memoráveis", explica Roberto Minczuk. E, ouvi-las, continua o maestro, possibilita uma compreensão mais ampla do fazer artístico, do processo de criação das obras, rendendo experiência mais rica aos espectadores. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG