Coma induzido de Fábio Barreto deve durar mais dez dias

Foi retirado no início da tarde o cateter que controlava a pressão intracraniana do cineasta Fábio Barreto. Ele está internado em estado grave após um traumatismo craniano em decorrência de um acidente de trânsito no dia 20 de dezembro. De acordo com os médicos, a pressão está controlada.

iG Rio de Janeiro |

O cineasta ainda se encontra em coma induzido e a expectativa é de que ele acorde em cerca de 10 dias. O cineasta chegou a apresentar sinais de infecção, mas nada que altere o quadro clínico, segundo os médicos. Barreto respira por aparelhos e não é possível assegurar, por enquanto, se haverá ou não sequelas.

O acidente

O acidente ocorreu por volta das 22h de sábado, em Botafogo, zona sul do Rio, quando Barreto voltava do Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Galeão), na Ilha do Governador (zona norte). O cineasta tentou embarcar para o Piauí, onde encontraria sua mulher, que participava de um festival de cinema, mas não conseguiu.

O bombeiro Wagner Generoso, 26 anos, viu o acidente da janela de seu apartamento. Segundo ele, um carro fechou o veículo do cineasta, que tentou desviar mas bateu numa mureta, voou para outra pista e capotou.

"Saía muita fumaça, vazou gasolina, fiquei com medo que o carro explodisse", contou o bombeiro, que foi uma das primeiras pessoas a chegar ao local da batida.

"Achei que ele estava morto, mas depois percebi que ele respirava com dificuldade. Tentei falar com ele, disse que Jesus ia ajudar", afirmou Generoso. A ambulância dos bombeiros chegou em cinco minutos.

Segundo a assessoria de Fábio Barreto, o carro passou por perícia feita pela Polícia Civil e está na casa da família. O resultado da aviliação dos profissionais ainda não foi divulgado.

AE

Glória Pires e Fábio Barreto durante lançamento de "Lula, o filho do Brasil"

Filho de Luís Carlos Barreto e irmão de Bruno Barreto, também cineastas, Fábio iniciou sua carreira em 1977 e, desde então, já dirigiu 13 filmes. Seu trabalho mais recente é o longa "Lula - O Filho do Brasil", baseado no livro de Denise Paraná, que estreia em 1 o de janeiro em todo o País.

A produção causou críticas da oposição, que acusa a produção de ser uma peça de campanha para as eleições do ano que vem. Entre outros filmes dirigidos por Barreto está "O Quatrilho", indicado para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1995.


Leia também:


Leia mais sobre: Fábio Barreto

    Leia tudo sobre: cineastacinemafabio barreto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG