Com Lei Seca, cai o número de mortes no trânsito; 9 mil foram presos em flagrante

BRASÍLIA - Em um ano de vigência no País, a Lei Seca ajudou a reduzir o número de mortes no trânsito. A Polícia Rodoviária Federal registrou queda de 2% no número de mortes e 3% em acidentes com vítima fatal nas rodovias federais. O número de acidentes e feridos, no entanto, aumentou em 7% e 4% respectivamente.

Carol Pires, repórter em Brasília |

Desde junho de 2008, quando a Lei Seca foi sancionada, cerca de 40 mil motoristas foram submetidos ao teste de nível alcóolico. Em 2009, foram mais de 320 mil pessoas. Ao todo, 14 mil motoristas foram flagrados embriagados, sendo que 9 mil foram presos em flagrante.

Para o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, o resultado é positivo. "Temos de comemorar, mas precisamos avançar muito mais. Essa lei tem que ser preservada e qualificada", afirmou ele nesta quinta-feira.

"Queremos que a Lei seja incorporada ao comportamento regular dos homens e mulheres que dirigem no Brasil. Estamos comemorando, mas há um longo caminho a percorrer", completou.

De acordo com inspetor Alexandre Castillo, chefe de Comunicação da Polícia Rodoviária Federal, os acidentes provocados pelos motoristas sob efeito de álcool estão em oitavo lugar no ranking de principais causas de acidentes no trânsito. Ele explicou, porém, que o álcool ajuda a potencializar a imprudência, causando, em geral, acidentes mais graves.

A Lei Seca influencia na queda do número de mortes, mas não necessariamente no número de acidentes, esclareceu o inspetor. Segundo ele, apesar de pequeno, a queda no número de mortes deve ser comemorada. [O número] é positivo. Quando morre uma pessoa a menos, é motivo se satisfação, disse.

Mudança de comportamento

Em balanço divulgado nesta quinta-feira pela Polícia Rodoviária Federal mostra que no início da Lei Seca, a fiscalização flagrou um motorista embriagado a cada seis testes realizados, contra um flagrante a cada 40 testes detectados este ano, na segunda fase da lei.

Segundo o inspetor Hélio Cardoso, diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, isto mostra uma mudança de comportamento entre os motoristas. Como negar a positividade da lei sabendo que ela está mudando o comportamento dos motoristas, ao menos em rodovias federais? A PRF afirma isso em cima de 300 mil testes realizados em 12 meses. Mesmo aumentando a fiscalização em 600%, a quantidade de motoristas embriagados está caindo.

Hoje, a Polícia Rodoviária Federal conta com 750 etilômetros em utilização nos 65 mil quilômetros de rodovias federais no País. Até o final do ano, outros 10 mil aparelhos serão distribuídos pelo País, segundo anunciou o Ministério da Justiça em dezembro de 2008. Os investimentos em aparelhos de segurança no trânsito por parte do ministério devem chegar a R$ 140 milhões até o final de 2009.

Leia mais sobre: Lei Seca

    Leia tudo sobre: lei seca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG