Com dores, Dilma Rousseff volta para hospital em SP

SÃO PAULO - A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, chegou por volta das 3h15 da madrugada desta terça-feira ao Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para realizar exames.

Redação com agências |

Mais cedo, ainda nesta segunda-feira, a ministra se queixou de dores nas pernas e a equipe médica responsável pelo tratamento a que ela está sendo submetida recomendou que ela fosse imediatamente levada para um hospital para a realização de exames.

Os médicos decidiram pela realização de exames de ressonância magnética no Hospital Sírio Libanês, na capital paulista, onde Dilma faz quimioterapia contra um câncer linfático.

Câncer no sistema linfático

No dia 25 de abril, a provável candidata do PT ao Planalto em 2010 informou a descoberta de um linfoma, câncer no sistema linfático, detectado na axila esquerda. O tumor de 2,5 centímetros estava em estágio inicial, segundo os médicos, e foi retirado em cirurgia de 45 minutos no Hospital Sírio-Libanês.

O tratamento de quimioterapia deverá durar quatro meses e será aplicado em sessões realizadas no hospital a cada três semanas. De acordo com a equipe médica, composta por Roberto Kalil Filho (cardiologista), Paulo Hoff (oncologista clínico), e Yana Augusta Sarkis Novis (hematologista), a ministra encontra-se, neste momento, sem "evidência da doença ativa" (não há mais nenhum tumor) e fará a quimioterapia por segurança. Yana enfatizou que, como a doença está no estágio inicial, há grande chance de cura.

Leia mais sobre: Dilma Rousseff

* Com Agência Estado

    Leia tudo sobre: dilma roussef

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG