Com dívida de R$ 1 mi, ONG de Betinho é ameaçada de despejo

SÃO PAULO - Fundada pelo sociólogo Hebert de Souza, o Betinho, a ONG Ação da Cidadania contra Fome de São Paulo está sendo ameaçada de despejo. Com uma dívida de R$ 1 milhão em condomínios atrasados, a instituição informou que o prédio onde funciona a ONG foi cedido por meio de um decreto estadual assinado pelo então governador Mário Covas, em 1997. O prazo para a desocupação do prédio encerra-se nesta quarta-feira (14).

Redação |

O decreto estadual, segundo a ONG, garantia que o Estado arcaria com as tarifas condominiais. Porém, após 12 anos, a ONG afirma ser cobrada por condomínios atrasados.

Em nota, a ONG afirma ter acionado a Justiça de São Paulo, por meio da Defensoria Pública dos Direitos Humanos, com um agravo para derrubar a liminar de reintegração de posse e quer ainda um prazo maior para desocupar o prédio.

O vice-coordenador da Ação Cidadania, Tarcisio Geraldo Faria, afirmou que o governo revogou o decreto, mas não revogou o termo de permissão de uso. Faria informou ainda que desde 1998 a ONG avisou que não pagaria o condomínio, "pois firmamos um acordo com a Casa Civil que o Estado bancaria estas despesas.

O espaço onde funciona a ONG abriga também o Grupo de Apoio e Prevenção a AIDS (Gapa), a Parada do Orgulho Gay, as Mães da Sé, o Intercâmbio, Informações, Estudos e Pesquisas (IIEP) e a Associação de Mães e Amigos de Adolescentes em Situação de Risco (Amar), conhecida também como Mães da Febem.

Sem prazo

O vice-coordenador da ONG, Tarcisio Geraldo Faria, disse que a Procuradoria do Estado ainda não determinou a data do despejo oficial da entidade. Segundo Faria, não há carros, caminhões para a retirada dos móvies e, portanto, até segunda-feira, eles continuarão no local.  

Leia mais sobre: ONG Ação Cidadania

    Leia tudo sobre: ong ação cidadania

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG