Com direito a harpa, Mutantes emocionam a avenida São João

SÃO PAULO - Os Mutantes emocionaram o público da Virada Cultural, em um show que contou até com uma harpa. A climática Dom Quixote foi a escolhida para começar a primeira apresentação pública da nova formação da banda, em plena avenida São João. Com a saída de Zélia Duncan, que tinha sido recrutada para a primeira turnê de reunião da banda, Beatriz Mendes assumiu os vocais femininos.

Da Redação do Último Segundo |

    Depois de passear por clássicos como "Caminhante noturno" e "Não vá se perder por aí", uma jovem harpista foi convidada ao palco para acompanhar "Fuga nº2". Os sorrisos estavam preparados para "Mutantes depois" a nova composição da banda (que você pode baixar de graça no hotsite dos Mutantes no iG Música ).

    "2001" e "Top top" esquentaram para "Balada do louco", que foi acompanhada por um lindo coro do público. "Ando meio desligado" ganhou citações da versão em inglês que pode ser conferida no disco "Technicolor", lançado em 2000, e um longo solo de guitarra de Sérgio Dias, que ficou na beirinha do palco.

    Problemas no som deixaram o mutante sênior irritado, mas isso não tirou a graça de "A hora e a vez do cabelo nascer", "A minha menina" e "Bat macumba", que foi escolhida para encerrar o show. E sob os gritos de "Mutantes! Mutantes!" a banda voltou para cantar uma longa versão de "Panis et circenses".

    Leia mais sobre: Virada Cultural

      Leia tudo sobre: virada cultural

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG