George Alexander Martinez Reed abusou de uma criança no Texas e fugiu para Minas Gerais, onde dava aulas em escola infantil

A Polícia Federal de Minas Gerais entregou na semana passada a autoridades americanas, no Aeroporto Internacional de Cumbica, em São Paulo, o pedófilo George Alexander Martinez Reed. Ele era foragido dos Estados Unidos desde 2004, quando abusou de uma criança de apenas quatro anos, no Texas, e fugiu para o Sul de Minas Gerais. Utilizando-se de documentação de identidade falsa, George dava aulas de inglês para crianças em São Sebastião do Paraíso, que fica a 397 quilômetros de Belo Horizonte.

Combate ao crime: Desmontada maior rede de pedofilia já encontrada na web

O problema no Brasil: Após caso de pai-avô, Maranhão prende um pedófilo a cada dez dias

A investigação que levou à deportação do norte-americano teve início em 2009, quando os policiais brasileiros entraram em contato com agentes do FBI, entidade de inteligência dos Estados Unidos. A PF de Minas não informou como descobriu que poderia se tratar de um criminoso, mas revelou que o FBI forneceu fotos e impressões digitais. Em junho de 2009, a polícia brasileira prendeu o foragido. Ele foi encaminhado à Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Grande Belo Horizonte. Por lá ficou durante mais de dois anos até ser deportado há poucos dias graças à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

A PF de Minas Gerais informou que foram agentes da Interpol os envolvidos na operação de prisão. A Interpol é a Organização Internacional de Polícia Criminal, composta por 188 países-membros. O Brasil é membro desde 1956 e sua representação no território nacional é mantida sob a responsabilidade do Departamento de Polícia Federal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.